quarta, 26 de fevereiro de 2020
Início » Política » Por R$ 1,4 mi, Jaú terceiriza também o combate à dengue.

Por R$ 1,4 mi, Jaú terceiriza também o combate à dengue.

Gravatar
08/08/2011 às 21h10
José Henrique Teixeira

Causou surpresa geral mais uma terceirização de serviço feita pela Prefeitura de Jaú. Agora, a administração pretende gastar em torno de R$ 120 mil mensais, ou R$ 1,4 milhão num ano, contratando uma empresa da cidade de Barueri para combater o mosquito da dengue. O contrato foi assinado em 22 de julho e a definição dessa empresa se deu por meio de pregão presencial.

Neste ano Jaú teve 90 casos confirmados de dengue, sendo 80 deles autóctones e 10 importados de outras cidades. No início do ano falava-se numa epidemia com 1.300 casos da doença (1% da população), que não se confirmou graças ao bom trabalho desenvolvido pelo Departamento de Zoonose e pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde.

Bauru teve neste ano, até abril, 2.063 casos de dengue. Foi um recorde histórico. Mas a Prefeitura bauruense não contratou nenhuma empresa para ajudá-la no combate ao mosquito.

O secretário de Saúde, Abdala Atique, disse que a contratação da empresa Jepam Construções e Assessoria é para que essa empresa faça o serviço pesado. “Ela vai fazer o trabalho pesado, de limpeza nas casas, nos quintais, para não termos mais criadouros do mosquito. Queremos erradicar o mosquito da dengue de Jaú”, falou.

Atique disse, ainda, que a contratação da empresa por R$ 1,4 milhão não quer dizer que a Prefeitura irá pagar a ela esse valor. “É um valor estimado. O pagamento será feito de acordo com os serviços executados. O importante é que já teremos à mão a empresa quando precisarmos e com possibilidade de agir imediatamente”, explicou.

Jaú sempre cuidou sozinho da dengue. Em 2010 fora, 237 casos confirmados na cidade, o maior número até agora. Antes disso, o maior número tinha sido de 207 casos, em 1996. Em 2009, primeiro ano da atual administração, foram apenas dois casos confirmados.

“Desde o primeiro ano de seu mandato o prefeito Osvaldo Franceschi Junior pretendia fazer esse trabalho para erradicar o mosquito da dengue de Jaú. Só agora está sendo possível”, justificou o secretário de Saúde. Quer dizer: o prefeito decidiu no primeiro ano que faria um trabalho para erradicar a dengue justamente no ano em que a cidade teve apenas dois casos da doença.

A atual administração já terceirizou os serviços de trânsito, a merenda escolar e agora está terceirizando  também o combate à dengue. Nas rodas de conversas políticas na cidade o comentário nesta segunda-feira (8) era que a Prefeitura está dispensando os mosquitos da dengue e o dinheiro é para pagar-lhes as indenizações.
 

Mais sobre: dengue

2 Comentários(Deixe o seu)

  • Luiz

    E o concurso? Onde estão os funcionários para atuarem? Houve concurso para este setor? Cadê? Cadê? Não vai chamar? Vai contratar? Vai resolver por um tempo, mas e depois???????????

  • ALEXANDRE ALVES DA SILVA

    Uma sugestão para a cidade, para o secretário de saúde e para o prefeito: invistam num programa inteligente de monitoramento e prevenção, bem mais barato que o custo de mão de obra previsto no contrato mencionado. A erradicação do mosquito é um desafio gigantesco, já o monitoramento dos focos do mosquito e detecção dos tipos de virus circulante é algo totalmente viável e em uso com tecnologias que foram desenvolvidas no INCT - Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Dengue, cuja sede fica na UFMG. Vejam também www.midengue.com.br

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2020. Todos os direitos reservados