quinta, 24 de outubro de 2019
Início » Política » Teixeira: 40 anos de imprensa em Jaú

Teixeira: 40 anos de imprensa em Jaú

Desde fevereiro de 2002 faço parte da equipe de jornalismo da Rádio Jauense, que neste 15 de maio vai completar 85 anos de existência, colocando-se entre as primeiras emissoras do Brasil.

Gravatar
01/05/2019 às 14h55
Teixeira exibe na tribuna da Câmara o título de Cidadão Jauense

Teixeira exibe na tribuna da Câmara o título de Cidadão Jauense

José Henrique Teixeira

Neste 23 de abril completei 40 anos de  jornalismo em Jaú, onde cheguei  em  23 de abril de 1979 para o jornal Comércio do Jahu.

Trabalhei simultaneamente por muitos anos na Rádio Piratininga, Rádio Cultura Regional e desde fevereiro de 2002  estou apenas na Rádio Jauense, há 17 anos. Pedi demissão do “Comércio” no começo de 2002,  após 23 anos, por incompatibilidade com o editor de então. Destaco nesses 23 anos de Comércio a grande dedicação de Raul Bauab  e da editora Ana Maria Midaglia, esta que chegou junto comigo. Também merecem destaque os irmãos Mario e Fernando Schwarz, o primeiro, editor, o outro editor de esportes. Fico muito triste por saber que o “Comércio”, após quase 111 anos de existência, vai encerrar as suas atividades neste 5 de maio.  Eu fiz parte desta história por 23 bons anos.

Criei o primeiro jornal matutino de rádio em Jaú, o Jornal da Manhã, na Rádio Piratininga, em 1980,  apresentado por Norival Turini e Geraldo Rodrigues, das 7h30 às 8h. Eu produzia e eles apresentavam.

Também  criei o primeiro jornal sindical de Jaú, o Terra Roxa, do Sindicato Rural, presidido por José Cassiano Gomes dos Reis.

Fui por 11 anos correspondente do jornal “O Estado de S. Paulo” em Jaú, de 1981 a 1992, inclusive no tempo em que o XV de Jaú disputava a série principal do Campeonato Paulista e aqui vinham Palmeiras, Corinthians, Santos e São Paulo. Não havia internet. Os textos eram ditados por telefone ao Estadão.

Por ser o repórter que mais divulgou na grande imprensa, no caso, no “Estadão”,  recebi em 23 de maio de 1990  um troféu do Rotary Club de Jahu, entregue pelo seu então presidente, dr. Ricardo Cesarino Brandão, de saudosa memória.

Em janeiro de 1987, uma matéria minha no “Comércio”  ganhou repercussão nacional.  Foi aquela sobre os vizinhos que resolveram trocar as suas esposas no Jardim Pedro Ometto.  Falei dela no programa “Balancê”, de Oscar Olysses, na Rádio Globo de SP;  faleu em rádio de Recife,  a  Hebe Camargo  falou no programa dela e até o padre Chiquinho comentou, criticando a atitude dos casais, na missa da Matriz. Também sai, com foto e tudo, segurando a página do “Comércio”  na revista “Afinal”, que veio a Jaú fazer a matéria.

Em 1999 criei, primeiro hospedando em servidor dos Estados Unidos, o site de noticias jaunews (este aqui), que começou com www.jaunews.com   e  depois,   hospedado no Brasil, www.jaunews.com.br e  que está na rede até  agora, completando 20 anos.

Mas não foram apenas flores.  Fui agredido por um chefe de gabinete de prefeito, quando queria apenas uma entrevista com o prefeito sobre o aniversário da cidade para o jornal “Estadão”.  Sou o repórter que mais tempo cobre as sessões da Câmara de Jaú  até hoje. Por isso,  fui expulso do plenário certa vez por um presidente;  fui agredido na rua por outro presidente e também fui processado por um terceiro presidente, tudo por coisas que falei no rádio ou escrevi no jornal e que eles não gostaram. Sofri quatro processos,  fui absolvido em todos eles.

Recebi diversas moções de congratulações da Câmara de Jaú, por matérias divulgadas, dentre elas dos vereadores Rui Pacheco,  José Aparecido Capobianco e Ariovaldo Mantelli. Também  recebi moções das câmaras de Lins, do vereador José Ramos Antunes,  e de Dois Córregos,  esta  ultima pelo saudoso vereador Thales Miguel Tidei. Também tive moção de congratulações da Sociedade São Vicente de Paulo e  do jornal “Estadão”,  esta cumprimentando pela cobertura das eleições de 1982.

Por fim,  em 2004,  recebi da Câmara de Jaú o título de “Cidadão Jauense”, proposta de autoria do vereador José Mineiro de Camargo,  aprovada no dia do meu aniversário, 29 de março daquele ano, e que me foi entregue em sessão solene do dia 17 de maio do mesmo ano, data de aniversário de casamento dos meus pais.

Agora, desde fevereiro de 2002,  faço parte da equipe de jornalismo da Rádio Jauense,  que neste 15 de maio vai completar 85 anos de existência, colocando-se entre as primeiras emissoras do Brasil.  Hoje,  liderada por Mauro Rafani, a emissora fundada por Ulysses Newton Ferreira  já teve à sua frente Alides Fabris, por longos anos,  e por ela passaram nomes como Fiori Gigliotti,  Eli Correia,  Campinho, José Rafael Toscano, Laerte Maziero, Antenor Zago e  ainda está na ativa,  Wanthier Mantovelli.  Muito  me orgulha fazer parte de uma história e de um time como este.

 

Veja no Youtube a participação de José Henrique Teixeira falando sobre os 40 anos de imprensa em Jaú na Tribuna Cidadã da Câmara no dia 29 de abril de 2019:

https://www.youtube.com/watch?v=l8e3dn1B3to&feature=youtu.be

Nenhum comentário(Deixe o seu)

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2019. Todos os direitos reservados