domingo, 21 de outubro de 2018
Início » Política » Alckmin inaugura escola de R$ 5,9 mi em Bocaina

Alckmin inaugura escola de R$ 5,9 mi em Bocaina

A escola inaugurada tem oito salas de aulas, 15 salas pedagógicas, nove salas administrativas, 19 espaços de vivencia, além de três espaços externos, um deles um ginásio de esportes.

Gravatar
21/02/2016 às 10h20

Galeria de Fotos

O governador Geraldo Alckmin discursa.Logo atrás a diretora da escola, Maria Isabel Rosalin. na solenidade de entrega da escola.

O governador Geraldo Alckmin discursa.Logo atrás a diretora da escola, Maria Isabel Rosalin. na solenidade de entrega da escola.

Na tarde de sábado (20/2) o governador Geraldo Alckmin esteve em Bocaina onde entregou a Escola Estadual do  Jardim Santana. Foi um investimento de R$ 5,9 milhões, numa obra que tem 3.200 metros quadrados e vai atender alunos do ciclo 2 do ensino fundamental (6º ao 9º ano) e do ensino médio.  Na oportunidade, em seu discurso, Alckmin anunciou que estava atendendo a dois pedidos do prefeito José Carlos Soave (PSB). Está doando uma ambulância zero quilômetro Mercedes-Benz para a Prefeitura e ainda vai liberar  verba de R$ 350 mil para recapeamento de ruas.

A escola inaugurada, cuja diretora é Maria Isabel Rosalin, tem oito salas de aulas, 15 salas pedagógicas, nove salas administrativas, 19 espaços de vivencia, além de três espaços externos, um deles um ginásio de esportes com iluminação e ventilação natural. Somente no uso noturno é que precisa  ligar os refletores.

O prefeito Soave destacou em seu discurso a importância de o Governo do Estado estar investindo pesado em Educação. “É assim que se faz o futuro de um país. Sem educação não há futuro. Parabéns ao governador Alckmin, que ao contrário do governo federal, que fala, fala e não faz,  ele não fala tanto mas faz”, disse  Soave.

Falaram também na solenidade os deputados Pedro Tobias,  presidente estadual do PSDB, e o deputado federal Lobbe Neto, também do PSDB. Ao chegar  à escola, Alckmin foi até onde estava a Banda Marcial Municipal de Bocaina, ouviu a sua apresentação e depois, no discurso, cumprimentou os integrantes da corporação e seu regente, Ronaldo Lopes.

“Uma grande alegria vir a Bocaina.  Estamos entregando aqui essa beleza de escola. Aqui também já ajudamos numa creche, a Arca de Noé,  com reforma e ampliação.  Estamos fazendo outra creche.  .  Atendendo prefeito Soave  vamos entregar uma ambulância Mercedes para a Prefeitura.  Ele também pediu apoio para asfalto e vamos assinar convênio de R$ 350 mil para recape”, disse Alckmin, sob muitos aplausos dos presentes. O governador destacou que ao contrários dos demais estados brasileiros, que investem 25% das receitas em Educação, o Estado de São Paulo é o único que investe 30%  nessa área.

Após a solenidade o governador visitou a escola, acompanhado pelas autoridades e público presente e., em seguida, deu entrevista coletiva. Da escola, Alckmin seguiu para o centro da cidade onde visitou a sede da Apae (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais). Dali seguiu a pé por 200 metros, passando pela Farmácia Nova,  até o Bar Central,  que é do vereador Jonas Amaral, onde bebeu café e assistiu parte do jogo entre o seu time, o Santos, e o Palmeiras,  que atuavam naquela tarde. Atravessou a rua, foi para o outro estabelecimento, na esquina do hotel, depois despediu-se de todos e foi embora.

Além dos já citados, estavam também no palanque da solenidade na escola o vice-prefeito de Bocaina, Leandro Sormani, o presidente da Câmara, Adriano Baroni; o vereador do PSDB, Luiz Carlos Gimenez e o presidente do partido na cidade, Gerson Ramos, o Gel;  os prefeitos de Jaú, Rafael Agostini,; de Dois Corregs, Chico Telles;  de Boracéia, Marcos Bilancieri; de Itaju, Fátima Terezinha; de Espírito Santo do Turno, João Adirso Pacheco; de Ibaté, Alessando de Melo Rosa; e de Itapuí,  José Eduardo Amantini; a dirigente regional de Ensino, Carla Mattar Karam; o delegado Seccional de Polícia, Ricardo Silva Dias; a diretora da escola inaugurada, Maria Isabel Rosalin;  o tenente-coronel Marcelo Sanches, comandante do 27º Batalhão de Polícia Militar do Interior; o delegado de Bocaina, Wanderlei Vendramini; o padre Paulo Henrique Borges; o diretor-superintendente da Fundação Amaral Carvalho, Antonio Luís Cesarino de Moraes Navarro; o presidente do Sindicato Rural de Jaú, Ruy Pacheco; e o ex-prefeito de Bocaina, João Francisco Bertoncello Danieletto. Também estavam no ato o presidente do PSDB de Jaú, Antonio Aparecido Serra, e o vereador jauense Tito Coló Neto (PSDB).

Coletiva

Na entrevista coletiva, Alckmin foi  questionado sobre a reorganização escolar, o fechamento de salas de aula, que estaria ocorrendo no Estado. “Pedagogicamente o mais recomendável é separar os alunos por ciclos e idade. Não se deve misturar crianças de seis anos com adolescentes de 16 anos. O secretário de Educação vai conversar.  Temos espaço, com rede maior que o número de alunos. Aqui já está quase separado, não tem o ciclo um. Já temos 1.500 escolas de ciclo único no Estadio”, disse.

-A presidente da Apeoesp, Maria Isabel Noronha, o acusa,, embora tenha interrompido o processo no ano passado,  de estar fazendo agora uma reorganização silenciosa nas escolas.  Procede?

- Temos uma  rede para cinco milhões de alunos e temos hoje 3,8 milhões. Do ano passado para este reduziu 118 mil. O ano que vem vai reduzir de novo. Há uma mudança demográfica no Brasil. As mães hoje tem menos filhos. É natural. O primeiro ciclo é hoje da Prefeitura. Temos espaços. Então vamos aproveita-lo,  ampliando a escola em tempo integral, ampliando as escolas técnicas”, respondeu Alckmin.

Sobre o recente escândalo envolvendo a merenda escolar no Estado, sendo denunciado um esquema com prefeituras para superfaturar os produtos, mediante propina a gestores, o governador Alckmin repetiu o que já havia falando à grande imprensa:

“Foi a Polícia de São Paulo que apurou. Hoje  temos que destinar 30% dos recursos da merenda para a compra de produtos da agricultura familiar. Fizemos pouquíssimas chamadas, mas fizemos. Ganhou uma cooperativa, mas acontece que ela fraudou documentos. Os produtos não eram de pequenos agricultores. Isso foi descoberto. Determinamos apuração rigorosa. Quem tiver culpa é condenado, quem não tem é absolvido, qualquer que seja o partido político”, falou.

Sobre a crise afetando obras, Alckmin disse que no Estado de São Paulo isso não acontece.  “Não temos obras paradas. Vamos entregando.  A medida que vamos entregando abre espaço fiscal para iniciar novas obras. São Paulo está mantendo o nível de investimentos. A concessão de mais 2.200 Kms de estradas que estamos iniciando vai gerar mais de 30 mil empregos. São quatro lotes de concessões, um deles nessa região, que vai possibilitar a duplicação da rodovia de Araraquara até Barra Bonita”, encerrou o governador.

Mais sobre: Alckmin em Bocaina

Nenhum comentário(Deixe o seu)

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2018. Todos os direitos reservados