quarta, 01 de abril de 2020
Início » Política » Acaba a greve dos servidores

Acaba a greve dos servidores

A nova contraproposta do prefeito Rafael Agostini, com reajuste de 7% nos salários e de 13% no tíquete de compras, foi aceita por aclamação pelos funcionários.

Gravatar
30/04/2015 às 20h14
Funcionários em manifestação no Paço Municipal

Funcionários em manifestação no Paço Municipal

Terminou na tarde desta quinta-feira, após dois dias, a greve dos funcionários municipais de Jaú. Ela atingiu parte dos servidores e afetou  principalmente as área das Educação e da Limpeza Pública, chegando a gerar algumas reclamações pela falta da coleta do lixo domiciliar. A nova contraproposta do prefeito Rafael Agostini, com reajuste de 7% nos salários e de 13% no tíquete de compras, foi aceita por aclamação pelos funcionários que estavam desde a tarde de terça-feira concentrados em frente do Paço Municipal.

Antes,  por volta de 12h, falando na Rádio Jauense, o prefeito Agostini admitia retomar as negociações depois que o Sindicato dos Funcionários Municipais protocolou um novo pedido, agora reivindicando a reposição da inflação de 7,68% e não de 6,41% como havia pedido desde fevereiro. “Não sei se vai dar para chegar aos 7,68%, mas vamos rever a contraproposta anterior e melhorar no tíquete, sobre o qual não incidem encargos e benefícios que os servidores tem direito”, disse o prefeito.

De fato, ele não chegou aos 7,68% e ofereceu 7% nos salários, mas  corrigiu consideravelmente o valor do tíquete, que  subiu para R$  516,00 com um incremento de R$ 60,00  ou  13%.

A campanha salarial começou em fevereiro, quando o Sindicato dos Funcionários, após a primeira assembleia,  entrou com a pauta de reivindicações na Prefeitura. Pediam, na época, reajuste da inflação de 6,41% mais aumento real, totalizando 10,41%, além de R$ 100,00 no tíquete.

A primeira contraproposta da Prefeitura só veio no inicio de abril, com reajuste de 1,5% e R$ 10,00 no tíquete. Foi rejeitada de pronto.  Depois, a Prefeitura propôs reajuste salarial de 3,75%, o que também foi rejeitado e os servidores decidiram aprovar a proposta de greve, que começaria no dia 28. Antes, no dia 27, fizeram a terceira assembleia, quando veio a contraproposta de 6,41% nos salários e no tíquete, o que também não foi aceito e confirmada a greve, que começaria na quarta-feira, dia 28. Mas na terça-feira à tarde já havia centenas de servidores concentrados em frente da Prefeitura e pedindo 8% de reajuste. No dia seguinte fizeram passeata pelo centro e, nesta quinta-feira voltaram a se concentraram na Prefeitura. Cerca de 400 participaram dessas manifestações em cada dia.

Eliana Contarini destacou que o acordo foi fechado e que nenhum servidor terá desconto por faltas e nenhum prejuízo em férias ou outros benefícios. “Tudo foi negociado”, disse ela. A sindicalista agradeceu aos coletores de lixo que foram os primeiros a aderir ao movimento reivindicatório.

 

Nenhum comentário(Deixe o seu)

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2020. Todos os direitos reservados