segunda, 26 de junho de 2017
Início » Política » Rafael: 'Conversa mole e apitaço não resolvem os problemas'

Rafael: 'Conversa mole e apitaço não resolvem os problemas'

"Ter caráter, ter hombridade, não é subir na tribuna da Câmara e falar o que a torcida quer escutar. Isso não é caráter. Isso é demagogia. Isso é discurso de fariseu. Caráter, hombridade, decência é o que o governo está tendo, é o que os vereadores da bancada aliada estão tendo", disse o prefeito Rafael Agostini.

Gravatar
24/09/2013 às 20h53
Agostini falou na tarde desta terça-feira no salão nobre da Prefeitura

Agostini falou na tarde desta terça-feira no salão nobre da Prefeitura

Em um dos discursos mais enérgicos que já fez desde que assumiu o cargo, o prefeito Rafael Agostini (PT) classificou ontem como “hipócritas”, “fariseus”   e “canastrões”, de “pessoas sem caráter e sem vergonha na cara”, os que ficam criticando as medidas duras que anunciou nos últimos dias e “fazendo discurso para a torcida na tribuna da Câmara”.

O prefeito falou durante 58 minutos na tarde desta terça-feira, no salão nobre da Prefeitura, explicando o projeto que autoriza a concessão à iniciativa privada do Saemja (Serviço de Água e Esgoto do Município de Jaú) e a recente correção em 40% da Planta Genérica de Valores, base de cálculo do IPTU. Depois foi mais uma hora entre outras  manifestações e respostas as perguntas dos jornalistas presentes. Agostini estava rodeado de seus secretários municipais e da maioria de vereadores da base situacionista.

“Eu não poderia deixar de falar sobre caráter, decência, dignidade vergonha na cara, honestidade, moralidade. Ter caráter, ter hombridade, não é subir na tribuna da Câmara e falar o que a torcida quer escutar. Isso não é caráter. Isso é demagogia. Isso é discurso de fariseu. Caráter, hombridade, decência é o que o governo está tendo, é o que os vereadores da bancada aliada estão tendo, por ter a coragem de tomar decisões politicamente difíceis, mas necessárias sob o ponto de vista administrativo para resolver problemas históricos que o município vem enfrentando e que ninguém teve peito para resolver nos últimos anos”, disse Agostini.

Conforme o prefeito, “não é com conversa mole, com apitaço, com bateção de bumbo que vamos resolver os problemas que há 30 anos estão atormentando a nossa cidade e que agora estão estourando no meu colo para resolver. Não é fazendo discurso bonitinho na tribuna da Câmara para a torcida aplaudir que vamos cumprir ações judiciais que há 10 anos foram ingressadas, algumas já com trânsito em julgado. Se eu tiver que ficar um mandato só aqui, vou ficar só um mandato, mas resolver os problemas que a cidade tem. Não vou empurrar com a barriga para fazer média e ficar bem na foto”.

Saemja

Justificando a necessidade de concessão do Saemja, o prefeito Agostini disse que nem a Prefeitura, nem a autarquia, tem recursos ou possibilidade de obter financiamento de R$ 160 milhões para cumprir as determinações judiciais que obrigam a autarquia a realizar diversos serviços, dentre eles o tratamento do esgoto no distrito de Potunduva, na Vila Ribeiro  e no Pouso Alegre de Baixo.

“Todo mundo sabe que o Saemja não consegue garantir serviço de qualidade para a cidade. Todo mundo sabe que falta água para 40% da população todos os dias. O Saemja tem um déficit mensal que chega perto dos R$ 500 mil. Tem uma dívida em torno de R$ 20 milhões. Essa situação vem se agravando desde 2003. De outro lado, numa situação atípica, Jaú tem dois serviços concessionados, só que quando elas foram feitas, as concessionárias ficaram com o que é rentável e o Saemja assumiu o osso duro de roer. A dívida do Saemja impede investimentos para resolver os problemas de água”, disse Agostini.

O prefeito enumerou diversas ações judiciais e Termo de Ajustamento de Conduta que obrigam o Saemja a realizar diversos serviços. Entre eles estão aquisição de equipamentos, incluindo motores e bombas sobressalentes, a substituição das bombas de eixo prolongado por submersas; a disponibilização de mais 297 metros cúbicos de água por hora; a instalação de todas as válvulas de regulação de pressão, para garantia de abastecimento e evitar desperdício na rede que hoje chega a 60% da água tratada por causa da rede obsoleta; trocar mais de 20 mil hidrômetros, que tem mais de 35 anos e não aferem o real da água consumida; além da ação judicial em fase excecutória cujo prazo termina em 11 de outubro próximo para que a Prefeitura apresente as providências para o tratamento de esgoto nos três bairros rurais.

“Para resolver os problemas de saneamento, sem contar o lixo, precisamos de investimento de R$ 160 milhões. Tem decisão judicial, tem que fazer. Tem multa prevista para o município de mais de R$ 1 milhão. O prazo termina em três semanas. Não há o que esperar. Não é com conversa e nem com tapinha nas costas e conversa bonita na tribuna da Câmara que se faz, que se resolve”, disse o prefeito.

A concessão, conforme o prefeito, é necessária porque o município não tem onde arrumar os R$ 160 milhões. “Está sendo feito o que tem que ser feito. Não quero ser condenado por improbidade por não cumprir decisão judicial, porque já tem gente que foi”, falou.

Agostini disse que ninguém deu concessão alguma ainda. Só há autorização legislativa para iniciar o processo. “O processo será público, terá audiência pública, o edital ficará pelo menos um mês na internet. Quem vencer a licitação vai captar dinheiro onde quiser, no BNDES, no BIRD, onde for, deposita o valor da concessão onerosa  para o município, com o que vamos executar os serviços de asfalto. O edital é nosso.Nós que vamos montar. Nos primeiros cinco anos ela terá que resolver os problemas todos, com a maior parte dos investimentos. Depois, continuará investindo onde for necessário, fará a manutenção, amortização do investimento e o lucro, porque ninguém vai fazer nada de graça”, explicou o prefeito.

“Só que é uma brincadeira o que estão falando, que o Saemja vai ser vendido, Privatização é quando você pega uma empresa pública e vende para a iniciativa privada, como foi feito com a Telesp.O que estamos fazendo é uma nova concessão. Já existem duas concessões no município. Quase metade da água de Jaú é produzida pela iniciativa privada e 100% do esgoto de Jaú é tratado pela iniciativa  privada. Ninguém vai comprar o Saemja.  É uma irresponsabilidade falar em privatização”, completou o prefeito Agostini.

Mais sobre: concessão do Saemja

4 Comentários(Deixe o seu)

  • Juca

    Dai -lhe o Poder e eu te direi quem tu és,Rafael.O


    Id a mim dada de jau
    o supremo da corte,

  • junior

    Eu gostaria de saber oque o Vice Prefeito Sigefredo Griso acha deste circo que esta acontecendo em nossa cidade de Jaú ??? Pra mim Griso foi e sera um dos melhores Prefeitos que Jaú ja teve !!! Sim Votei no Rafael só por causa do Sigefredo Griso e acho que politicamente pelo partido ele concorda com o Prefeitinho Perfeito, mais gostaria de saber como Jauense se ele concorda com essas barbaridades que vem acontecendo em Jaú levando a politica de cidade para o esgoto pois não confiamos mais nestes que ai estão, pena pois a maioria que ali estão foram conrompidos a dizer Amem a tudo que o Prefeitinho Perfeito Reza . Então Griso oque você nos diz ???

  • sandra arroyos

    Parece que o povo gosta de falsidade, canastrice e tapinha nas costas e não de gente séria que toma as atitudes duras que tem que ser tomadas para resolver os problemas. O prefeito está fazendo o que tem que ser feito para consertar os grandes problemas da cidade que ninguém teve coragem de resolver. Não é com conversa fiada que se faz isso, é com medidas administrativas sérias, por mais duras que elas seja.
    O Prefeito está certo e que se danem os corneteiros que não sabem o que é administrar nem um carrinho de pipoca na vida.

  • Juca

    O Prefeito Rafael é o melhor do mundo,tem experiencia de tudo na vida
    Mas a minha empresa jamais vou contrata-lo
    A escolinha do PT ensinou isso a ele
    Vamos ver as empresas ligadas ao grupo que viram levar nosso dinheiro doauento do iptu e tercerização do Saenja.

  • antonio henrique soragni

    Sou Jauense mas estou fora de minha querida cidade por mais de 30 anos, ocupo esse espaço para manifestar minha indignaçao mas é contra o povo jauense, como é que pode eleger uma criatura que nunca trabalhou na vida, nunca administrou nada a ser prefeito de uma cidade tao importante?

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2017. Todos os direitos reservados