domingo, 20 de agosto de 2017
Início » Política » Rafael diz que não adianta jogar para a torcida

Rafael diz que não adianta jogar para a torcida

Sobre a decisão do vereador Fernando Frederico, da sua base, de não mais disputar eleições e criar um instituto que vai inclusive fiscalizar o poder público, Agostini pouco falou. “Ele é um político importante. Vem sendo um parceiro do nosso governo. Analiso isso como uma decisão de cunho pessoal dele”.

Gravatar
29/06/2013 às 09h25
Rafael Agostini, prefeito de Jaú.

Rafael Agostini, prefeito de Jaú.

O prefeito Rafael Agostini (PT) evitou se estender ontem quando perguntado sobre a atitude do vereador Fernando Frederico de Almeida Junior (PMDB), que anunciou que vai deixar a vida política após o término do seu mandato. Agostini disse também que a administração continua disposta a dialogar com lideres dos protestos que foram realizados na cidade por duas vezes, a última delas na segunda-feira, quando cobraram redução de salários do próprio prefeito, do seu vice e de vereadores.

“Não tive a oportunidade ainda de avaliar a pauta de reivindicações. Vamos avaliar o que precisa ser feito e o que resolve, de fato, os problemas. Não adianta só jogar para a torcida. Estamos abertos a conversar e acho que o movimento e legítimo, mas a responsabilidade do gestor é resolver os problemas da cidade”, disse Agostini, quando indagado sobre a reivindicação dos manifestantes quanto aos salários dos principais cargos públicos municipais.

O prefeito acrescentou que os problemas não são resolvidos, “falando simplesmente aquilo que as pessoas gostam de ouvir ou atendendo aquilo que acham que são as soluções para os problemas. Os problemas são muito complexos. Acredito que estamos no caminho certo e não pretendo mudar a  minha linha de condução de governo”.

Sobre a decisão do vereador Fernando Frederico, da sua base, de não mais disputar eleições e criar um instituto que vai inclusive fiscalizar o poder público, Agostini pouco falou. “Ele é um político importante. Vem sendo um parceiro do nosso governo. Analiso isso como uma decisão de cunho pessoal dele”.

Agostini diz que no momento todos os políticos do Brasil estão passando por uma situação difícil, “mas é preciso ter foco”.  E completou: “Eu sei o que estou fazendo e deixei bem claro no início do meu governo que não estou nem ai para a política e para as eleições. Eu vou fazer o que for preciso para sanear as contas municipais e se isso custar a minha popularidade, paciência. Não estou preocupado em ser ou não candidato a alguma coisa”.

Por fim, o prefeito voltou a lamentar a situação difícil em que recebeu a administração. “Não existe nenhuma administração séria que não comece pelo processo de saneamento das contas públicas. Para comprar precisa ter crédito na praça. No começo tinha fornecedor de  medicamento que não queria mais entregar para a Prefeitura, porque antes ela tinha ficado meses sem pagar esse fornecedor. Nós estamos trabalhando muito para recuperar a credibilidade da Prefeitura junto aos credores. Esse é o caminho”..

4 Comentários(Deixe o seu)

  • Wendel

    Senhor prefeito sou contra a redução de salario ,pois uma prefeitura que arrecada" R$ 18 milhões em 2013 com o Imposto Predial e Territorial Urbano,Além do ICMS com R$ 32,4 milhões, e do IPVA, R$ 15,3 milhões, foram repassados também do Fundo de Exportação R$ 1 milhão e ainda temos a verba do PAC 2 que é de R$ 43,7 milhões e assim vai etc"..agora me pergunto acho ate pouco o salario de um prefeito honesto ,preocupado em resolver os problemas da saúde ,educação ,moradias ,e não podemos esquecer das enchentes .Por tanto administrar é uma ciência, deve se basear em leis ou em princípios. Fayol tentou também definir os "princípios gerais" de Administração. Como a função administrativa restringe-se somente ao pessoal, isto é, ao corpo social, é necessário um certo número de condições e regras, a que se poderia dar o nome de princípios, para assegurar o bom funcionamento da empresa. Fayol adota a denominação princípio, afastando dela idé ia de rigidez, porquanto nada existe de rígido ou de absoluto em matéria administrativa. Tudo em Administração é questão de medida, de ponderação e bom senso. Tais princípios, portanto, são maleáveis e adaptam-se a qualquer circunstancia, tempo ou lugar.Senhores administrar não se limita em só arrecadar.

  • Não adianta o prefeito ser um bom administração,evocar princípios de grandes administradores.
    O importante é se livrar de incompetentes e ta cheio nessa administração. Um diretor de transito sem conhecimento , um diretor de agricultura que nunca plantou,um superintendente que só assina ......alguns secretários comprometidos com latifundiarios urbanos,outros preocupados com o próprio bolso,outros que ajudaram a administrar outros governos e faliram o patrão e a si mesmo; nas eleiçoes seguintes dá um arrependimento.
    Quer um conselho,reveja sua assessoria ,ele vai de enterrar vivo. Ou vai ser estrela daquela série,"os mortos vivos"

    Seja vc mesmo

  • marcos cunha

    tá na hora de falar do nepotismo na prefeitura !!!!!!!!!!!!!

  • João Roberto de Castro

    Não queremos que você fique agradando quem está se manifestando, seja através do Facebook, através de manifestações alheias, o que queremos que você não seja pirralhos, orgulhoso, que aceite nossas criticas com bom senso, não adianta fazer julho cultural, noite no museu, e outros eventos, são importantes sim, mas temos prioridade que é a saúde e educação, e principalmente os bairros com ruas cheias, cheias, cheias, cheias, lotadas, lotadas, lotadas, lotadas, de buracos....Seja humilde prefeito agora você aumentou a verba pra Santa Casa, por não fez isso antes, falta humildade....

    Humildade é dom sabia....

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2017. Todos os direitos reservados