terça, 27 de junho de 2017
Início » Política » Prefeito oferece R$ 100 no tíquete e sindicato rejeita

Prefeito oferece R$ 100 no tíquete e sindicato rejeita

O sindicato cancelou a assembleia que aconteceria às 18h desta sexta-feira. Uma nova rodada de negociação foi marcada para a segunda-feira (22) de manhã e a assembleia ficou para às 18h do mesmo dia, em frente ao Paço Municipal.

Gravatar
19/04/2013 às 16h18

Na quarta rodada de negociação com o Sindicato dos Funcionários Municipais de Jaú, na manhã desta sexta-feira, o prefeito Rafael Agostini (PT) ofereceu como contraproposta às reivindicações salariais dos servidores um aumento de R$ 100,00 no tíquete de compras, que seria elevado de R$ 311,00 para R$ 411,00. Isso representaria um majoração de 32,1% no valor do cartão de compras para todos os funcionários, incluindo o 13º salário. O prefeito não acenou com qualquer percentual de reposição da inflação do período, que ficou em 6,7%.

O sindicato rejeitou a contraproposta e cancelou a assembleia que aconteceria às 18h desta sexta-feira. Uma nova rodada de negociação foi marcada para a segunda-feira (22) de manhã e a assembleia ficou para às 18h do mesmo dia, em frente ao Paço Municipal. “Nós queremos algo mais do que a elevação do tíquete, que aliás ficou abaixo do que estávamos reivindicando, que era a elevação para R$ 450,00. Além disso, pedíamos mais 12,1% nos salários entre inflação e reposição de perdas”, disse a presidente do Sinfunpaem, Eliana Contarini.

O prefeito Agostini considera que a elevação de 32% no valor do cartão de compras é um ganho expressivo no poder de compra dos servidores. “Quem ganha R$ 1 mil, por exemplo, terá  10% de aumento, ou R$ 100,00 a mais no salário, enquanto que se fosse dada a correção da inflação esse aumento seria de R$ 67,00.  A medida beneficia 80% dos servidores que são os que ganham  os menores salários na Prefeitura”, disse.

Na segunda-feira o prefeito vai mandar à Câmara projeto que regulariza a licença-maternidade de seis meses para as servidoras municipais. Hoje a legislação prevê licença de quatro meses e a funcionária tem que pedir os dois meses adicionais. Com o projeto, será automática a licença de seis meses.

 

Mais sobre: servidores municipais

Um comentário(Deixe o seu)

  • Rafael

    Caro prefeito, com a crise que o setor calçadista esta passando temos e muito colaboradores desempregados, esta na hora de trocar renovar ,pois o tíquete no setor do calçado é de R$ 100 total e não reclamamos porque precisamos e muito.

  • Afonso

    Capcioso, no mínimo, tal cálculo - oferecer um percentual de 32% no ticket e nada para repor a perda com a inflação é um acinte e um oportunismo manipulatório com os índices estatísticos. O servidor quando se aposenta não recebe mais o ticket, e as perdas salariais acumuladas só vão corroer ainda mais o parco salário. Por que não se oferece, por exemplo, a perda com a inflação, mais uns 2%, o que somaria 8% nos salários, além de R$ 80,00 no ticket? Isso é um exercício hipotético, claro, para ficar com os tais índices percentuais, o que daria os 32% de aumento. Mas o servidor não quer só comida... parafraseando os Titãs, quer muito mais que isso. Espera-se mais respeito e bom senso do executivo.

    • Andréa

      Oferecer 4% é um tapa na cara do servidor! Uma humilhação! Pior é esperar que todos aceitem calados essa falta de respeito com quem trabalha e tem casa pra sustentar.

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2017. Todos os direitos reservados