domingo, 17 de dezembro de 2017
Início » Política » Aprovado vencimento de duas parcelas do IPTU para março

Aprovado vencimento de duas parcelas do IPTU para março

Gravatar
26/02/2013 às 08h00

 

A Câmara aprovou ontem os dois primeiros projetos do prefeito Rafael Agostini (PT), em regime de urgência. Um deles deu margem a muita discussão. É o que prorroga o vencimento da primeira parcela do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) para março, coincidindo com a segunda parcela, devido a atraso na emissão dos carnês. O contribuinte, conforme o Jornal Gente já destacou na edição anterior, terá que pagar duas parcelas em março.
 
O fato gerou protestos de vereadores oposicionistas. Três votaram contra o projeto – Carlos Lampião Magon (PV), Tito Coló Neto e Paulo Gambarini, estes do PSDB – mas a propositura foi aprovada por 14 votos contra três. Como líder do PSDB, Coló orientou o partido a votar contra, mas Fábio Dornelles, que é segundo secretário na mesa, não acompanhou. “Não sou manipulado por ninguém. Voto a favor da população”, justificou Dornelles.
 
O vereador Carlos Lampião Magon considerou que o envio do projeto em urgência pelo prefeito foi “um desrespeito à Casa”, já que segundo ele, os carnês do IPTU já estão sendo distribuídos aos contribuintes.
 
Tito Coló e Gambarini defenderam que o contribuinte não deveria ser sobrecarregado com o vencimento de duas parcelas em março. “Deveria parcelar essa primeira prestação porque as pessoas não tem cupla do atraso na emissão dos carnês”, disse Gambarini. “A população não pode pagar por um erro de quem quer que seja”, disse Coló, que ia propor diluir a primeira parcela ao longo das outras 11 prestações.
 
Coló ia propor diluir a primeira parcela mas não chegou a faze-lo porque a bancada da base do prefeito demonstrou que a medida seria inviável. “Pensamos em refazer os carnês e diluir essa primeira parcela nas demais, mas para isso a gráfica pediu mais 60 dias de prazo. Ai complicaria muito mais”, disse o líder do PT, Lucas Flores.
 
“Se a Câmara rejeitar esse projeto agora os carnês tem que voltar para a gráfica e vai demorar mais 60 dias. Ai a prestação ficará ainda maior, porque terá que se dividir o valor lançado em cinco ou seis parcelas apenas”, disse Fernando Frederico de Almeida Junior, líder do PMDB. “O prefeito não tem cupla se o Banco do Brasil, que patrocina os carnês, mandou fazer a impressão numa gráfica de Curitiba e ela atrasou a entrega”, disse o líder do prefeito, Charles Sartori (PMDB).
 
O outro projeto do prefeito aprovado pelos vereadores é o que autoriza repasse de área para a construção de 117 casas ao lado do Jardim Padre Augusto Sani, para atender as pessoas que ganham de zero a três salários mínimos e que não foram contempladas com casas do Residencial Frei Galvão, que tem 777 unidades em construção. A liberação da área, conforme o líder do prefeito, Charles Sartori, foi pedida pelo secretário estadual da Habitação, Silvio Torres. O projeto foi aprovado por unanimidade.
 
As casas em questão foram prometidas pelo secretário estadual Silvio Torres, em 14 de abril de 2012, ao então prefeito Osvaldo Franceschi Junior (PV) quando ele esteve no Estádio Zezinho Magalhães no sorteio de 158 moradias do Jardim Orlando Ometto II. Na oportunidade, o prefeito anunciou que em breve viriam mais 700 casas do Residencial Frei Galvão. O secretário Torres disse o Estadio faria mais 300 para completar mil unidades. Como o Frei Galvão tem 777 casas em construção, o secretário estadual teria que dar mais 223 para completar as mil. Agora estão dando 117 e, portanto, faltam outras 106. Os membros da bancada do prefeito Agostini anunciaram o fato na Câmara como conquista da atual administração.
 
A sessão de ontem foi a mais longa já realizada pelos vereadores deste mandato. Iniciada às 16h, com Tribuna Cidadão, às 22h o líder do PT, Lucas Flores ainda estava falando na tribuna. O ponto alto das discussões foi um requerimento do vereador Ronaldo Formigão (DEM) em que ele pede informações sobre os repasses feitos pelo município ao Informatibola, valor do convênio e tudo o mais.
 
Aí os três vereadores que tem ligação com ONGs com as quais o prefeito Rafael Agostini (PT) anunciou que não vai renovar convênios, se manifestaram. Tito Coló, ligado ao Jaubac; Lampião, do Dollar, e o próprio Formigão, do Informatibola. Eles elogiaram o fato de o prefeito usar a estrutura da Secretaria de Esportes e oferecer escolinhas para 1.320 crianças, mas lamentaram que deixará de apoiar um trabalho que atendia muito mais pessoas nos bairros da periferia. O líder do prefeito, Lucas Flores, repetiu as contas que o prefeito já havia divulgado, ou seja, que a administração vai gastar muito menos com o seu projeto próprio.
 

 

3 Comentários(Deixe o seu)

  • Thiago França

    É um dos maiores absurdos que já ouvi na minha vida. É claro que o Sr. Prefeito tem culpa, erá só ele mandar os carnes para outra gráfica sem pratocionio mesmo, era melhor pagar a confecção dos carnes e ter dinheiro em caixa do que não pagar e demorar quase 60 dias e "ficar" sem a primeira parcela do IPTU, que é uma das unicas fontes de rende no começo do ano.
    Se eu sei disse era mais do que obrigação para um "prefeito" saber.
    Parabéns população, não se esqueçam antes de critica-lo que quem o colocou lá foram os senhores.

  • JOSÉ CIQUIEIRA

    PORQUE QUE NÃO LIBERA PARA PAGAR DIRETO NO CAIXA DA PREFEITURA E PRONTO MANDA ESSA GRAFICA PARA PUTA QUE PARIU PREFEITO DA UM BASTA NISTO JA ERA ESTAMOS EM 2013 PELA MOR DE DEUS LIBERA GERAL MUITA ABELHA E POUCO MEL

  • sandra arroyos

    Não vejo nada de mais. Alguém pagou IPTU em fevereiro? Não pagou, mas se sabia que tinha que pagar era sót er guardado o dinheiro. Quem não foi ignorante e descabeçado não vai sentir os efeitos.

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2017. Todos os direitos reservados