terça, 27 de junho de 2017
Início » Política » Sem verba do PAC, Agostini cria comissão contra enchentes

Sem verba do PAC, Agostini cria comissão contra enchentes

Gravatar
30/01/2013 às 22h22
Agostini anuncia comissão contra enchentes

Agostini anuncia comissão contra enchentes

 

Prevendo que não terá tão rápido quanto desejaria a liberação de recursos dio PAC2 (Programa de Aceleração do Crescimento), do Governo Federal, para as obras de macrodrenagem urbana, o prefeito Rafael Agostini (PT) criou ontem uma comissão de emergência para atuar em caso de enchentes. É a Comissão Intersetorial de Emergência de apoio à Coordenadoria Municipal de Defesa Civil.  A comissão é formada por três secretários e quatro diretores de secretarias, que atuarão em consonância com Valdir Baltazar, coordenador municipal da Defesa Civil.
 
No anúncio da criação da comissão o prefeito Agostini voltou a reclamar da situação financeira do município. “Este ano nós não vamos fazer investimentos. Dos R$ 7,6 milhões previstos no orçamento para investimentos, já contingenciei mais de R$ 6 milhões. Vai parar tudo!”, enfatizou.
 
Agostini reiterou que, sem recursos, vai fazer o arroz com feijão este ano. “Vamos fazer o arroz com feijão bem feito. A mistura vai ficar para o ano que vem. Ou eu acerto as contas do município agora para investir no ano que vem ou o governo vai desandar”, disse.
 
Na semana passada foi anunciado que o prefeito petista recebeu a Prefeitura com restos a pagar de R$ 34 milhões, incluindo dividas com 200 fornecedores, e com uma divida consolidada de R$ 89 milhões.
 
A comissão anunciada pelo prefeito é formada pelos secretários de Assistência Social, Maria Izilda Mattar; de Educação, João de Souza de Almeida Diogo Cardoso; e de Meio Ambiente, Eduardo Henriques Abussamra. Também fazem parte os diretores José Carlos Marangoni, da Secretaria de Serviços Municipais; Luiz Henrique Gazzoli Teixeira, da Secretaria de Esportes; Leila Aparecida Garcia Rossi e Ruth Elisabete Grossi, da Vigilância Epidemiológica e, Francisco Carlos Martimiano, do Saemja (Serviço de Água e Esgoto do Município de Jaú).
 
Izildinha Mattar vai efetuar a triagem socioeconômica e o cadastramento de famílias afetadas pela enchente, em conjunto com FUSS, além de gerenciar abrigos temporários e coordenar campanhas de arrecadação de alimentos, roupas e móveis.
 
João Cardoso, da Educação, ficará responsável por disponibilizar a estrutura da rede municipal de ensino para que emergencialmente sirva de abrigo temporário; bem como colocar servidores para limpeza do local e preparação de alimentos.
 
Eduardo Abussamra, do Meio Ambiente, vai monitorar os dados do sistema de informações sobre previsão do tempo e identificar áreas de risco,além de cuidar de eventuais vazamentos de produtos que possam causar danos às pessoas.
 
José Carlos Marangoni, engenheiro da Secretaria de Serviços Municipais, ficara responsável por manter um sistema de plantão 24 horas durante o período da anormalidade, organizando equipe de funcionários e voluntários para auxilio no deslocamento das famílias atingidas aos abrigos temporários ou residências de amigos ou familiares. Também responderá pela medidas estruturais de reabilitação do local afetado e pela retirada dos móveis e eletrodomésticos  para a guarda em depósito municipal.
 
Luiz Henrique Gazzoli Teixeira vai disponibilizar os ginásio de esportes e outras estruturas da secretaria que possam servir de abrigos temporários a pessoas ou bens materiais.
 
Leila Garcia Rossi e Elisabete Grossi ficarão responsáveis pela orientação e monitoramento da população quanto ao risco de doenças, principalmente as transmissíveis pela água.
 
Francisco Martimiano, do Saemja, fará o levantamento dos danos causados à rede de abastecimento de água e a reparação desses danos, bem como pelo fornecimento de água potável aos abrigos que não a tiver.
 
Erros no PAC
 
O prefeito Agostini oficiou no último dia 22 a Caixa Federal e o Ministério das Cidades pedindo a prorrogação de seis meses do prazo para o primeiro desembolso das operações do PAC2. Segundo ele, existem erros no processo, que vem da administração passada. O PAC prevê recursos de R$ 62 milhões para Jaú, sendo R$ 45 milhões do Governo Federal e R$ 17 milhões de financiamento pelo próprio município.
 
“Estamos tomando providencias cabíveis para corrigir erros no processo do PAC,  para que a cidade possa receber os recursos e dar inicio às ordens de serviço. Embora algumas providências tenham sido tomadas no final do ano passado, viemos a constatar agora que havia uma série de problemas, entre eles um erro que quase custou a perda da verba que diz respeito a falta de documentos da licença ambiental”, disse o prefeito.
 
Agostini diz que tem muita coisa a ser corrigida no processo. “Pedi prorrogação por seis meses do prazo para a primeira ordem de serviço. O contrato, por exemplo, foi assinado antes da licença estar pronta. Não tenho como fixar prazo no momento para a liberação dos recursos. Mas enquanto isso não podemos ficar parados e estamos nomeando essa comissão para, no caso de enchentes, o município estar preparado para atender ao cidadão”, disse.

 

11 Comentários(Deixe o seu)

  • Oswald Mosley

    Mas o Valdir Baltazar, não foi coordenador municipal da Defesa Civil por 3 anos no governo do Osvaldo?
    Diga-me com quem andas que te direi quem és?

  • Carlos Bianco

    Sim, o Valdir, foi da Defesa Civil no governo anterior, pediu exoneraçao por nao concordar com os procedimentos adotados na epoca, Nao tem qualquer vinculo com o ex prefeito, está comprometido com trabalho serio, para ser util a quem precisar.
    Se alguem tiver alguma duvida, consulte o mesmo a qualquer tempo
    (eu ja fiz isso)

  • Felipe

    Esse Valdir ficou por 3 anos com os braços cruzados no lado do Doutor e não progrediram em nada em relação às enchentes, e agora ele novamente à frente da Defesa Civil ????
    Rafael, TEM QUE COLOCAR GENTE COMPETENTE, GENTE QUE CONHEÇE DO ASSUNTO, OU ENTÃO VAMOS CONTINUAR COM A CIDADE DEBAIXO D´ÁGUA.
    FICAR RODANDO COM O CARRO DA DEFESA CIVIL PRA CIMA E PRA BAIXO NÃO RESOLVE NADA, QUANDO ENCHE AS CASAS DE ÁGUA E FICAR TIRANDO AS PESSOAS DE DENTRO NÃO RESOLVE NADA, LIMPAR AS RUAS DE BARRO DA ENXURRADA NÃO RESOLVE NADA !!!!!!!!!
    TEM QUE TRABALHAR NA PREVENÇÃO !!!!!!!!! TEM QUE COLOCAR PESSOAS QUE ENTENDEM DO ASSUNTO. JAÚ TEM MUITA GENTE COMPETENTE QUE PODE ASSUMIR ESSE CARGO.

  • Oswald Mosley

    Poxa, demorou três anos para perceber que não concordava com a administração anterioer?
    Se demorar tudo isso para ajudar nas enchentes, vamos morrer afogados. Glub, glub.

  • PEPE

    ATENÇAO NO SEMPRE VERDE, O MATO A BEIRA DO CORREGO ESTÁ ALTO.
    ATENÇAO AO SEMPRE VERDE

  • wendel

    Caros amigos tenho muito interesse na solução desse problema pois sou muito afetado com a cheia de nosso rio ,mas devo frisar que o Sr Valdir Baltasar pouco poderá fazer se o prefeito não tiver disposto a ajudar,mas pelo artigo a cima deu para perceber que nosso prefeito Rafael não sabe o que é sofrer com as enchentes,mau sabe oque é sair com aguá no joelho com sua esposa gravida ,deixando para trás tudo oque conquistamos flutuando em uma aguá turva.Agora lendo isso ,cesta básica , ginásio, bugiganga de cozinha, galão de aguá . Sei que não temos dinheiro mas vamos junto o governador arregaçar a manga e tomar medidas para prevenir as enchentes.Termino com lagrima no coração.(morador do jardim sempre verde)

  • João

    Hum......... arroz com feijão?? no caso, entra ai o a contingenciamento tbm dos "salarios do executivo e legilativo??? Pois se não me engano, esses salários já sairam, e integralmente a todos.... talvez dar exemplo de 50% agora e 50% depois...e ai????

  • jose da silva

    Desculpem,mas quem colocou ele foi o PP (digo joao atalibbbb)e o Rafael teve que concordar,vamos ver o que vai dar....

  • Carlos Bianco

    Apoio o Rafael Agostini, neste caso ele foi coerente onde anunciou a COMISSAO INTERSETORIAL DE PREVENÇAO; Medida necessaria em virtude de falha constatada onde Jau perderia a verba do PAC, caso nao fizesse o correto.
    Com relaçao ao Sr Valdir, posso afirmar que ele nao é apenas um cargo, mas um coordenador que tem muito a fazer e competencia para a funçao; No passado ele foi da administraçao anterior, pediu exoneraçao por nao concordar com os procedimentos adotados (na epoca era sim apenas um cargo)

  • Rafael

    Sr Carlos temos hoje na câmara, vereadores reeleitos da administração passada era apenas cargo? Pois a responsabilidade de um vereador que é fiscalizar e cobrar notamos que o PAC foi muito fiscalizado(zona), espero que os mesmo tomem atitude diferentes nesse mandato.

  • Carlos Bianco

    Sr Rafael, concordo plenamente contigo, espero que os vereadores fiscalizem e contem comigo se for preciso.
    O passado, nao temos como mudar, mas o presente precisamos fazer as mudanças para que no futuro funcione.

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2017. Todos os direitos reservados