terça, 21 de novembro de 2017
Início » Política » Agostini anuncia mais quatro nomes e Griso assume supersecretaria

Agostini anuncia mais quatro nomes e Griso assume supersecretaria

Gravatar
05/12/2012 às 23h42

Galeria de Fotos

 

Primeiramente queixando-se das dificuldades que a sua equipe vem encontrando junto à atual administração no processo de transição, o prefeito eleito Rafael Agostini(PT) fez na noite desta quarta-feira (5/12) o anúncio de outros quatro nomes que irão compor o seu primeiro escalão a partir de 1º de janeiro. Desta vez foi incluído o vice-prefeito Sigefredo Griso (PMDB) que vai ocupar uma supersecretaria, denominada de Secretaria de Mobilidade Urbana, englobando as atuais pastas de Planejamento e Obras, Serviços Municipais e de Transportes e Trânsito.
 
O advogado Luís Vicente Federici será o secretário de Economia e Finanças. O nome de Eduardo Abussamra, o Duda, que vinha sendo cogitado, foi confirmado para a Secretaria do Meio Ambiente.Para a Secretaria da Habitação vai a funcionária aposentada da Caixa Federal e que por muitos anos atuou no setor imobiliário do banco, Joana Aparecida Garcia Serra.
 
Como já havia se manifestado em entrevista à Rádio Jauense, na sexta-feira passada, Agostini voltou a se queixar da forma como a equipe do prefeito Osvaldo Franceschi Junior (PV) vem conduzindo o processo de transição. “Faço aqui um pedido ao prefeito Franceschi e vou conversar pessoalmente com ele esta semana, para que tome medidas para evitar as dificuldades que estamos encontrando em algumas secretarias. Estão pedindo ofício e demoram cinco dias para responder. Parece que querem empurrar com a barriga. Não se faz um planejamento, uma reestruturação administrativa só examinando papéis.É preciso visitar as secretarias.Prefeito Osvaldo, por favor,pare com esse negócio de pedir ofício para visitar uma secretaria”, apelou o futuro prefeito.
 
Depois da queixa sobre a transição, Rafael Agostini começou anunciando os nomes dos quatro futuros secretários, começando por Luis Vicente Federici para as Finanças. “Ela vai implementar uma política fiscal de austeridade. Vamos botar a casa em ordem”, disse Agostini. O próprio futuro secretáqrio observou: “Temos que cuidar do controle financeiro-orçamentário do município. Temos que enxugar as finanças e tornar eficazes os gastos. O Orçamento vai ter que ser adequado à nova estrutura administrativa que teremos”.
 
Sobre Duda Abussamra para o Meio Ambiente, Agostini destacou que a sua pasta será uma das únicas que não terá estrutura reduzida. “A secretaria vai ter mais atribuições e uma importância maior dentro da administração.O organograma atual não permite os serviços que queremos realizar”, disse Agostini. Duda Abussamra falou em intercâmbio com as demais pastas. “O Meio Ambiente tem que envolver outras secretarias municipais.Não pode continuar só com projetos pontuais.Na Educação, por exemplo, tem que ter gente nossa nas escolas. Na Saude tem que ter um pessoal junto à Vigilância Sanitária, e assim por diante. Não é só comemorar o Dia da Água ou o Dia do Meio Ambiente.E preciso estar presente em todas as ações da administração”, disse o futuro secretário.
 
Agostini disse que a futura secretária de Habitação, Joana Garcia Serra já havia participado nesta quarta-feira de reunião com a Superintendência da Caixa Federal para tratar dos programas habitacionais de Jaú. “Agora aposentada, foi funcionária de carreira da Caixa e atuou nessa área por muitos anos. Conheço tudo dos programas habitacionais.Precisamos a experiência dela porque queremos entregar casas já no primeiro ano”, observou Agostini. Joana Serra disse que a meta é ajudar o maior número possível de pessoas a realizar o sonho da casa própria, mas não fixou meta em termos de número de unidades habitacionais a serem construídas.
 
“Não queríamos alguém para aprender,mas sim alguém que já sabe o que tem que ser feito”, disse Agostini ao anunciar o nome do ex-prefeito Sigefredro Griso para a nova supersecretaria de Mobilidade Urbana. “Além de cuidar de todos os aspectos da mobilidade urbana, a secretaria vai também garantir a manutenção dos serviços municipais, o básico do dia-a-dia.É preciso manter a cidade arrumada, pois isso é o cartão de visita de qualquer governante”, disse o futuro prefeito.
 
Griso observou que já dirigiu uma supersecretaria quando foi secretário dePlanejamento e Obras na gestão do ex-prefeito Celso Pacheco(1983-1988). “Eu era secretário de Planejamento e Obras mas o trânsito e o Ceprom estavam sob a minha responsabilidade. Era tudo uma coisa só e funcionava bem”, disse.
 
Amadorismo
 
Na segunda-feira, na Câmara, o vereador Carlos Alexandre Ramos (PPL) criticou a forma como a equipe de Agostini vem conduzindo a transição. Para ele, deveria esse equipe ter interferido na elaboração do Orçamento de 2013 para adequa-lo à nova estrutura que Agostini terá, inclusive com menos secretarias. Por isso, Ramos considerou a equipe de transição “amadora”.
 
“Não tenho interesse em responder nada que venha do vereador Carlos Ramos. O gestor profissional tem que saber que a reforma administrativa é precedida de muitos estudos. Como podemos interferir agora no Orçamento sea nova estrutura administrativa ainda não está definida e não sabemos quando isso vai custar? Quando o processo for concluído vou mandar projeto à Câmara alterando o Orçamento.Não vou precisar pedir isso ao vereador Ramos”, respondeu Agostini.
 
Sobre o projeto que a Câmara deve votar na próxima segunda-feira e que define os salários do prefeito em R$ 17 mil (20% a mais do que o atual); do vice-prefeito em R$ 7.500,00 (109,7% mais do que o atual) e dos secretários em R$ 6.100,00 ou apenas 1,1% mais do que os atuais, Agostini disse que o reajuste deveria ser dentro do limite do razoável. “Eu não sou a favor de elevar os salários dos secretários para R$ 10 mil, R$ 12 mil. Repito: tem que ser dentro do limite do razoável”.
 
-É razoável 109%?
Agostini demonstrou que não tinha conhecimento de que este seria o aumento para o vice-prefeito. Ao ser informando,ponderou: “O vice tem que se dedicar à administração. Tem que ganhar razoalvelmente bem, um salário digno pelas funções que irá desempenhar. Hoje o vice-prefeito ganha muito menos do que os secretários, o que é um absurdo”.
 
No final, Agostini deixou claro que o primeiro ano de seu governo será para acertar as finanças. “Vamos fazer funcionar os serviços básicos e elaborar projetos”, concluiu.
 
Anteriormente o prefeito eleito já havia anunciado os nomes de João Cardoso (Educação), Gilson Scatimburgo (Saúde) e Izildinha Mattar (Assistência Social).
 

 

Nenhum comentário(Deixe o seu)

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2017. Todos os direitos reservados