sexta, 28 de fevereiro de 2020
Início » Política » Potunduva: Políticos evitam tomar partido sobre emancipação

Potunduva: Políticos evitam tomar partido sobre emancipação

Gravatar
22/08/2010 às 19h55
J.H. Teixeira
Seminário realizado no distrito neste domingo.

Seminário realizado no distrito neste domingo.

O seminário pró-emancipação de distritos no Estado de São Paulo, que aconteceu neste domingo (22) no distrito de Potunduva, reuniu cerca de 300 pessoas e teve também a presença de políticos, mas dentre eles, apenas o deputado estadual Celso Giglio, presidente da Comissão de Assuntos Municipais da Assembléia Legislativa, se manifestou abertamente favorável à emancipação dos distritos, dentre eles, Potunduva.O presidente da Câmara de Jaú, Paulo de Tarso Nuñes Chiode (PV) e o vereador Atílio Durval Gasparotto (DEM), que fizeram parte da mesa, preferiram não se comprometer com a proposta. Apenas, no caso do presidente, ele disse que aquilo que couber à Câmara, ela estará a disposição.

"A vontade popular tem que ser respeitada. Sim ou não à emancipação, o que couber à Câmara estaremos à disposição. A discussão tem que ser ampla", disse Chiode. "Estou aqui para ter conhecimento desse processo. Preciso estar pro dentro de tudo para depois tomar uma posição", disse o vereador Gasparotto.
Participaram do encontro, que aconteceu no salão de festas da Paróquia de Santa Cruz, representantes de vários distritos que estão tentando a emancipação político-administrativa. Entre eles, estavam presentes representantes dos distritos de Área Cura, Nova Veneza, Matão e Maria Antonia, pertencentes ao município de Sumaré.

O presidente da Comissão de Emancipação do Distrito de Potunduva, Jefferson Vieira, considerou que o encontro foi bastante positivo. "Só temos que agradecer ao apoio da população do distrito e de políticos que estão lutando pela nossa causa", falou. Veira lembrou que tudo vai depender da população. "Se a vontade popular decidir , nós temos esse direito.Estamos longe de Jaú, falta muita coisa aqui. É promessa atrás de promessa. Precisamos de distrito industrial de policlínica, enquanto que a administração repassa R$ 650 mil para a Expojaú!, disse Vieira.

Lembrando que por diversas vezes foi Potunduva quem decidiu a eleição de prefeito de Jaú, Jefferson Vieira, observou que isso ocorreu também nas últimas eleições municipais. "Uma grande decepção para os moradores de Potunduva, que esperavam uma grande administração do prefeito Osvaldo Franceschi. Sei da capacidade dele, mas metade do secretariado dele não está deixando que ele realize o que pretende", completou Vieira.

O deputado Celso Giglio fez uma explanação sobre as vantagens da emancipação, contrapondo aos argumentos contrários a essa iniciativa. "O principal argumento dos que são contrários é que haverá prejuízo econômico para o município-mãe. Não é verdade. Os indicadores apontam que aqueles municípios desmembrados de os novos municípios que deles surgiram cresceram mais do que aqueles que não foram modificados. A Confederação Nacional dos Municípios aponta que São José Hortêncio, no Rio Grande do Sul, emancipado em 1992, apresenta os melhores indicadores sociais e econômicos. No ranking do IDH, os municípios novos e os que eram seus municípios-mãe, apresentam melhores indicadores de desenolvimento humano", observou Giglio.

Ainda, conforme o deputado, o Brasil tem poucos municípios se comparado com países europeus que são bem menores em território. "O Brasil tem 5.568 municípios, com 8,1 milhões de quilômetros quadrados. A França, com apenas 674 mil quilômetros quadrados, tem 36.781 municípios. A Alemanha., com 357 mil quilômetros quadrados tem 12.013 municípios. A Itália, com 504 mil quilômetros quadrados, tem 8.100 municípios", exemplificou. "De 1996 até hoje só foram criados 58 novos municípios no Brasil, enquanto que de 1970 a 1990 foram criados 539 municípios", completou.

Celso Giglio disse que a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que tramita na Assembléia Legislativa para que o Estado de São Paulo volte a ter o poder de decisão sobre a emancipação de municípios, que desde 1996 passou a ser competência da União, está com o relator, deputado Fernando Capez. "Acredito que o relatório será votado ainda antes das eleições. Depois vai a decisão para o plenário e, por fim, a sanção do governador. Agora, os distritos têm que pressionar, mandar e-mails, telefonar para os deputados, ir em caravanas à Assembléia Legislativa, para que os deputados aprovem a PEC. Não é possível que Brasília decida sobre municípios. O governo federal tem que decidir por criação de Estados, mas quem decide sobre criação de municípios é o Estado", concluiu Giglio.

O seminário realizado em Potunduva foi para que os moradores locais tivessem as informações sobre os prós e contras da emancipação. Além das explicações dadas por Giglio, foram distriubuídos panfletos. Os distritos que estão querendo a emancipação criaram uma site na internet: www.queremosumanovacidade.com.br .
 

Um comentário(Deixe o seu)

  • Nunes

    Nunes fala como representante do estado de São Paulo em nome da população das areas emancipandas e anexandas queremos agradecer a todos os deputados que assinran a proposta PEC 145 CE e o Relator Fernando capez pelo seu parecer favoraveu e em especial ao Dr. Clso Giglio pelo seu grandioso trabalho pela comissão de asuntos municipais em favor e beneficio dos que mais precisan, pois provado e comprovado por orgaos de pesquizas que emancipar e melhor para todos.
    atenciosamente
    Jose Nunes Filho
    presidente da federação do estado de São Paulo.
    19-97043246
    19-38542016

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2020. Todos os direitos reservados