quinta, 27 de fevereiro de 2020
Início » Geral » Polícia Civil vai centralizar serviços num só prédio

Polícia Civil vai centralizar serviços num só prédio

Gravatar
09/03/2012 às 07h56
J.H. Teixeira
Apresentação do projeto de reengenharia

Apresentação do projeto de reengenharia

 

A Polícía Civil está partindo para um processo de centralização de seu atendimento em todo o Estado de São Paulo. Ontem, o delegado da Deinter-4, de Bauru, Benedito Antonio Valencise, esteve em Jaú pra apresentar o projeto de reengenharia do órgão aos delegados de toda a Seccional de Polícia. Hoje, o mesmo projeto será mostrado aos demais operacionais, ou seja, os escrivães, investigadores e outros funcionários da corporação.
 
Em Jaú, o projeto prevê a construção de um prédio que irá abrigar todas as unidades da Polícia Civil. Deixaram de existir, em imóveis separados, os distritos policiais e as delegacias especializadas, como Dise (Delegacia de Investigação Sobre Entorpecentes), DIG (Delegacia de Investigações Gerais) e DDM (Delegacia de Defesa da Mulher). Tudo funcionará no mesmo prédio, inclusive o plantão policial.
 
“Essa reengenharia visa aglutinar todas as unidades no mesmo local para um melhor desempenho do serviço. Todos os policiais devem assumir de maneira global o que acontece na cidade. Haverá um maior aproveitamento dos trabalhos de inteligência e maior disseminação das informações existentes no combate a criminalidade”, disse o diretor do Deinter-4, Antonio Valencise.
 
O anúncio dessa mudança fez surgir comentários de que o Governo do Estado estaria pretendendo maquiar a falta de efetivo na Polícia Civil, colocando todas as unidades no mesmo endereço. Valencise nega de forma veemente: “O que vale não é o número de policiais, mas o policial altamente preparado. Eu prefiro trabalhar com um policial bem preparado do que com 10 que não tem compromisso com nada”.
 
Na ótica desse projeto, a população não nota um distrito policial no bairro e nem sente a falta se ele deixar de funcionar ali. “As pessoas percebem a instalação de uma delegacia na periferia? Tira-se essa delegacia e alguém percebe a falta dela? A presença dessa delegacia interfere no índice de criminalidade daquela região? “. Respondendo “não” aos seus três questionamentos, o delegado Valencise acrescentou que “as pessoas querem é ser bem atendidas. Não querem ser jogadas de uma unidade para outra sem ter o seu problema resolvido. As pessoas querem ter o seu caso efetivamente investigado por policiais comprometidos”.
 
Quanto ao prazo para que essas mudanças entrem em prática e, no caso, em Jaú, o diretor do Deinter-4 disse que espera que seja no menor tempo possível. “É todo uma programação que precisa ser desenvolvida. Primeiro estamos preparando os policiais para a mudança. Depois é preciso a locação do imóvel”, observa. 
 
A Secretaria de Segurança Pública do Estado vai primeiro alugar um imóvel em Jaú que comporte todas as unidades da Polícia Civil e depois construir um prédio próprio. Esse prédio será feito onde hoje estão a Dise, a DIG e a Ciretran, que serão demolidos, ao lado da Delegacia Seccional.
 
O plantão policial, que funciona após o expediente normal, bem como aos domingos e feriados, vai atender no mesmo prédio centralizado. “Será em melhores condições e com mais policiais. Caso o plantão funcione também durante o dia, quando chega outra ocorrência policial um outro delegado e outra equipe é designada para atender aquele caso. Será um trabalho mais eficiente, mais qualificado”, diz Valencise.
 
O diretor do Deinter-4 não fixou prazo para que as mudanças vigorem em Jaú, mas acredita que se isso acontecer até junho ou julho, “será excelente”. “O projeto precisa ser aprovado pela Secretaria de Segurança Pública, pela Delegacia Geral de Polícia, então temos que aguardar. A luta é para que seja viabilizado o mais rápido possível”, conclui.
 
Nos anos 80, quando Orestes Quércia e depois Luiz Antonio Fleury Filho foram governadores do Estado, a ordem era descentralizar. Foram instalados em Jaú quatro distritos policiais (três na cidade e um em Potunduva). A ordem era que a polícia precisava estar mais próxima da população. Agora inverte-se a estratégia e o sistema será centralizado.

 

Um comentário(Deixe o seu)

  • coronel troijo

    Se o Governo de SP planeja-se mais e investisse no efetivo(aumento e melhores condiçoes salariais) ,esta centralização não precisaria.Hoje a Centralização é uma questão de necessidade e sobrevivência.Parabéns ao Deinter 4 ,a população vai ganhar um serviço com mais qualidade.

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2020. Todos os direitos reservados