sábado, 22 de fevereiro de 2020
Início » Geral » Morre o jauense Sid Mosca, o designer dos capacetes.

Morre o jauense Sid Mosca, o designer dos capacetes.

Gravatar
20/07/2011 às 16h11
Sid Mosca e um capacete que p

Sid Mosca e um capacete que p

Faleceu em São Paulo, nesta quarta-feira (20/7), o jauense Cloacyr Sidney Mosca, o Sid Mosca, aos 72 anos. Aerografista renomado, reconhecido internacionalmente no mundo automobilístico, estilizou capacetes de grandes campeões mundiais, iniciando com Emerson Fittipaldi, passando por Nelson Piquet, Keke Rosberg, e imortalizando com Ayrton Senna da Silva, que para este, estilizou também seu jatoparticular.
Em Jaú sua obra chegou em 1981/82, através da Escuderia de Kart  Alô Brasil/Arisco capitaneada por Murilinho Macedo ( filho do então Ministro Murilo Macedo), que brindou seus parceiros jauenses, Nando Croce, João Pelegrina e Marcos Franceschi com capacetes desenhados e pintados pelo artista, bem como macacões confeccionados para corridas com logomarcas dos patrocinadores.
 
Abaixo reproduzimos matéria de Daniel Betting sobre Sid Mosca, publicada no site www.apka.org .
 
A identidade de um carro de corrida é sua pintura e a identidade de um piloto é a pintura de seu capacete. Quando se pensa em pintura de capacete o primeiro nome que vem à mente de qualquer piloto é Sid Mosca. Com 35 anos de experiência Sid é responsável pelo desenvolvimento da identidade de muitos pilotos de renome internacional.
Sid Mosca iniciou sua carreira no automobilismo no início dos anos 1970 como piloto na Divisão 3. Como os pilotos da época não se preocupavam com o visual de seus carros, Sid resolveu inovar e fazer uma pintura diferente em seu carro. “Antes da corrida o pessoal olhava o meu carro e ficava impressionado, pois era diferente de todos os outros”, conta.
Depois de assistir ao filme “Easy Rider” Sid decidiu pintar seu capacete, sem pretensão de fazer daquilo sua profissão. “Achei maravilhoso aquele capacete com estrelas e faixas vermelhas e brancas, igual à bandeira americana e decidi pintar o meu assim, mas não como sentido profissional, mais para curtir mesmo”, completa.
Na época Sid já tinha uma oficina de pintura e durante os cinco anos que correu decidiu deixá-la de lado e abriu uma pequena loja de automóveis. “Eu resolvi abrir esta loja e deixar de lado a pintura de automóveis e me dedicar a isso”, diz.
Como na época não tinha quem fizesse pintura de carros de corrida Sid resolveu montar uma pequena oficina apenas para pintar seu carro. Ele só não imaginou que o negócio começaria a crescer. “Eu tinha muitos amigos que também corriam e eles começaram a pedir que eu pintasse seus carros e capacetes”, conta.
Sid foi obrigado a deixar sua loja de carros de lado para voltar a se dedicar totalmente à pintura de capacetes. “Eu não queria mais pintar, mas não tinha mais jeito. Depois que viram o primeiro capacete que pintei profissionalmente, outros pilotos começaram a fazer encomendas”, afirma.
O primeiro grande nome a fazer uma encomenda de capacete com Sid Mosca foi o veterano Ingo Hoffmann da AMG Motorsport (Mitsubishi). “Como nós corríamos na mesma categoria ele veio e me pediu para pintar seu capacete, pois ele estava para entrar na Fórmula 1″.
Mas seu grande desejo era pintar o capacete do Emerson Fittipaldi, que era o melhor piloto brasileiro da época. “O capacete do Ingo chamou tanto a atenção que um dia apareceu o Wilsinho Fittipaldi me pedindo para pintar o carro deles na Fórmula 1, o Coopersucar e junto veio o Emerson me pedindo para pintar seu capacete”, diz.
Depois do capacete de Emerson e do carro da Coopersucar a carreira de Sid Mosca tomou uma proporção incrível. “Para mim foi um grande momento na minha vida e um belo dia o Emerson me pediu para que eu começasse a assinar seus capacetes, foi daí que em todos eu colocava a inscrição “Painted by Sid – Brasil”, comemora.
Sua assinatura, que primeiro foi feito para o amigo Emerson Fittipaldi, se transformou na marca registrada de Sid Mosca. Todos que encomendavam pinturas com ele pediam para colocar a inscrição na lateral esquerda do capacete, igual no de Emerson.
Depois do capacete do bicampeão Emerson Fittipaldi, veio Nelson Piquet com um desenho já pronto para ser aplicado em seu capacete. “Como o Nelson gostava muito de tênis, fez um desenho inspirado na bola que é usada no jogo”, conta.
Como Nelson Piquet se tornou tricampeão de Fórmula 1, todos começaram a dizer que Sid mosca dava sorte ao piloto que tinha um capacete pintado por ele.
Sid Mosca já era um designer renomado no automobilismo quando um garoto chamado Ayrton Senna, ainda piloto de Kart o procurou. Senna pediu para Sid desenvolver um desenho para seu capacete, pois queria levar as cores do Brasil para o campeonato mundial de Kart.
O designer resolveu inovar e fugir do tradicional verde e amarelo. “Pensando em fazer uma coisa jovem e agressiva resolvi pintar o capacete de amarelo com uma faixa verde, uma azul e um filete branco, reunindo as cores da bandeira nacional”, afirma.
Realmente, Sid Mosca deu sorte para mais um piloto que teve um capacete pintado por ele, pois Ayrton foi para a Europa e conquistou muitos títulos por lá. Usando o capacete, que mais tarde se tornaria sua marca registrada, Senna conquistou três títulos mundiais de Fórmula 1.
A criação de Sid tornou-se seu cartão de visita e seguiu igual por toda a carreira do piloto. A única modificação que Sid fez no capacete de Ayrton Senna, foi na época que o piloto comandava a famosa Lótus preta. “Com o Senna pilotando aquele carrão preto eu decidi usar um amarelo fluorescente, justamente para ser visto de longe”, conta.
Sid continuou pintando os capacetes de Ayrton Senna até o final da carreira do piloto e continua até hoje. O designer faz réplicas do capacete de Ayrton, que são vendidos a fãs de todas as partes do mundo. “Tem gente que vem à minha oficina para comprar as réplicas que eu faço e para ver um que ganhei do próprio Ayrton. É impressionante ver fãs do mundo inteiro chorarem ao verem um capacete usado por Ayrton Senna”, comenta.
Ayrton Senna entrou para a história como maior piloto de todos os tempos e Sid Mosca como criador do capacete, que atualmente é considerado uma obra de arte.
Até hoje Sid Mosca faz, em sua oficina em São Paulo, pinturas de carros de corrida e capacetes para pilotos de diversas categorias do automobilismo mundial, como um dos mais renomados designers do mundo. Para comemorar os 50 anos da Fórmula 1 a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) encomendou uma série de capacetes ao designer.
Sid é o responsável pelo design dos pilotos Rubens Barrichello, Felipe Massa, Tony Kanaan, Hélio Castro Neves, Gil de Ferran, Roberto Pupo Moreno, Chico Serra, Ingo Hoffmann e tantos outros espalhados pelo mundo.
Daniel Betting
 

Um comentário(Deixe o seu)

  • Marcelo de Borja

    Só soube hoje, ou melhor dizendo, só tive a confirmação hoje! Lembro de uma rápida notícia em um canal aberto de tv. Injusta está pequena lembrança na tv,insignificante, diante do enorme talento e da popularidade do artista eno mundo automobilismo, em todo o planeta! Mais uma vez não se prestigiou o enorme taento de um brasileiro, que merecia pelo menos um programa na tv,só para seu trabalho, nem que fosse em canal de tv 'fechada'.Deus o tenha .meus sentimentos aos seus familiares e admiradores.

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2020. Todos os direitos reservados