segunda, 25 de setembro de 2017
Início » Geral » Neguito Ronchesel será homenageado pela Câmara

Neguito Ronchesel será homenageado pela Câmara

Gravatar
16/11/2012 às 07h59
Neguito, ex-Inspetor de Alunos em Jaú

Neguito, ex-Inspetor de Alunos em Jaú

 

Por iniciativa do vereador Tito Coló Neto, o Inspetor de Alunos aposentado “Neguito Ronchesel” vai receber da Câmara de Jaú a Medalha de Honra ao Mérito. O projeto foi aprovado na última segunda-feira e agora é preciso apenas marcar a sessão solene para a homenagem.
 
Muita disciplina a respeito imperavam naqueles tempos em que Thomas Attílio Ronchesel, o “Neguito”, foi Inspetor de Alunos nas escolas “Caetano Lourenço de Camargo”, o “Instituto”, e na “Dr. Pádua Salles”. Era bem diferente dos tempos atuais, onde ele lamenta que estudantes vão às escolas e agridem professores, quebram equipamentos e até danificam o próprio prédio escolar.
 
“Havia um respeito mútuo. Eu diria que a nossa convivência era como de uma família. Os alunos todos se levantavam na entrada dos professores nas salas, cantavam o Hino Nacional antes do início do período. Havia educação e respeito”, lembra “Neguito”.
 
Era um tempo em que todos os alunos tinham que ir uniformizados à escola e isso incluiu a cor dos sapatos e das meias. Se não vestisse o uniforme completo não entrava. “O único problema que a gente tinha era com os estudantes que queriam fumar, escondidos no banheiro ou em outro local da escola. Sabíamos que fumavam escondidos. Namorar dentro da escola nem pensar. Não tinha isso de ficar se agarrando, beijos e abraços, nem na sala de aula e nem no pátio. Se quisesse namorar era só depois da saída”, conta o ex-Inspetor de Alunos.
 
“Neguito” Ronchesel lembra que fez o primeiro curso para Inspetor de Alunos criado no Brasil, que foi dado em São Carlos. “Vinha gente de todo lado para esse curso, inclusive de outros estados do Brasil”, diz.
 
Quando era inspetor no “Instituto” o diretor era o professor Nelson Camargo, de São Carlos. Entre os professores da época ele se lembra de dona Agnes, Graciete, Hilda Maitino, Ester Gaeta, Ester Bruzadin (de Educação Física), Terésio Mendes Peixoto, dr. Rui Costa, Pimentel, Lineu, Germano, Aristides e o professor de inglês Pelegrino Simões.
 
A sua ida para a Escola “Dr.Pádua Salles” foi quando em 1967 nasceram as filhas gêmeas Maria José e Maria Isabel. Ele e dona Maria de Lurdes Souza Ronchesel já tinham outros dois filhos, o Marcos e a Maria Helena. “Foi para a outra escola para ficar mais perto de casa, por causa das crianças pequenas”, lembra. O Marcos é advogado e empresário; a Maria Helena é bibliotecária e ajudou na formação da Universidade do Sagrado Coração, em Bauru; a Maria José, com quem ele mora hoje, é professora; e a Maria Isabel formou-se engenheira e trabalhou muitos anos com Adônis Maitino.
 
Sobre a Banda Marcial do Instituto, nove vezes campeã do Estado, “Neguito” lembra que quando ela foi criada pelo Tio Cassiano ele estava lá, como Inspetor de Alunos no Instituto. “A banda precisa viajar para o concurso em São Paulo e não tinha dinheiro. Falei com o diretor, que na época era o Luiz Walter Schlaice e ele me autorizou a sair na rua pedindo ajuda. Fui primeiro no Banco do Brasil e sai de lá com 25 mil réis. Encontrei mais pessoas na rua que fizeram doações e na casa do Dudu Ferraz consegui com ele mais 25 mil réis. Quando voltei na escola com todo aquele dinheiro, as pessoas não acreditavam. A banda pode viajar para o concurso”, conta com satisfação o “Neguito”. Depois foi seu irmão, o vereador Angelo Ronchesel, quem deu o nome para a avenida Dudu Ferraz em Jaú.
Outra curiosidade sobre a Banda Marcial é que vários de seus músicos, como o Helio Ciotti, de Bocaina, o Luiz Minguetti, tocavam em orquestras e na noite de sábado estavam tocando em bailes. “Saiam do baile pegavam uma perua e iam se encontrar com o restante da banda que estava em São Paulo para a apresentação no concurso”, lembra.
 
“Neguito” Ronchesel diz que sente a maior satisfação quando alunos daqueles tempos o encontram pelas ruas e o cumprimentam, param para conversar. “De Bocaina passou por mim aqui nas escolas de Jaú muita gente. Tive ligação com Bocaina também por causa do futebol. O Damazine era um craque do time bocainense e os filhos dele estudaram em Jaú nas escolas onde trabalhei.Lembro do Mano (Rodolfo de Jesus Gonçalves de Oliveira) que foi professor na Pádua Salles e depois casou-se com uma minha sobrinha”, diz.
 
O ex-Inspetor de Alunos mantém uma tradição de no dia do Funcionário Público, que é comemorado em 28 de outubro, Dia de São Judas Tadeu, distribuir balas para as crianças. Disse que faz isso até hoje.
 
Ele guarda documentos e certificados dos cursos que fez, recortes de jornais, revistas e muita coisa ligada à sua vida como Inspetor de Alunos. Certamente esta página do Jornal Gente irá fazer parte deste acervo.
 
Justificativa
Ao apresentar o projeto que concede o diploma do Honra ao Mérito a “Neguito” Ronchesel, o vereador Tito Coló Neto anexou a justificativa para a homenagem, que reproduzimos a seguir:
 
Nascido em Jaú em 31 de março de 1923, filho de Pedro Ronchesel
e Marina Gasparoto, “Neguito” estudou no Colégio São Norberto e posteriormente, em 1957, foi para São Carlos onde terminou seus estudos, realizando um curso de aperfeiçoamento para exercer a profissão de Inspetor de Alunos. Nesse período casou-se com Maria de Lurdes Souza Ronchesel, com quem teve quatro filhos (Marcos, Maria Helena e as gêmeas Maria
José e Maria Isabel). Possui também três netos (Marcos, Larissa e Guilherme).
Em 1957 já trabalhava no Instituto de Educação “Caetano Lourenço de Camargo” como Inspetor de Alunos, onde exerceu sua profissão com brilhantismo por cerca de 20 anos. Em 1980 foi transferido para a
Escola Pádua Salles onde trabalhou até aposentar-se.
 
Durante todo esse período trabalhando como Inspetor de Alunos nestas duas principais escolas de nossa cidade, “Neguito” conviveu com vários gerações de jovens, que no futuro tornaram-se médicos, advogados, promotores de justiça, professores, engenheiros, delegados, dentre outras profissões igualmente importantes.
 
Dentre as realizações de “Neguito” também conta a colaboração na fundação da Associação Atlética Palmeiras. Também teve atuação importante nos primeiros tempos da Banda Marcial do Instituto de Educação, comandada pelo Tio Cassiano, na escola onde ele era Inspetor de Alunos.

 

5 Comentários(Deixe o seu)

  • francisco franco

    titulo mais que merecido, parabéns

  • Orivaldo Candarolla

    Gostaria de parabenizar a Câmara Munioipal pela iniciativa em homenagear um grande trabalhador da educação, o "Seu Neguito", que com sua postura ética desempenhou um brilhante trabalho em diversas escolas do município. Pessoas como ele merecem nosso respeito e admiração. Parabéns "Seu Neguito"!

  • Dilermando Silva Filho

    Uma pessoa doce, meiga, amiga, porém enérgico quando precisava, sempre disposto ajudar as pessoas. Aos alunos orientando-os, com sua simpatia que lhe é característca até os dias de hoje. que Deus abençoe o grande Neguito. merecidamente bem lembrado pelo nobre Vereador Tito Coló, parabens a todos pessoas deste tipo sempre devem ser lembrados no desempenho de suas funções. Veleu...

  • gilmar guarnieri

    o neguito como diz o osvaldo camargo é o maravilhoso.um espetacular cidadao ,homem de caráter e como ele mesmo diz fui"seu aluno"no instituto de educaçao caetano lourenço de camargo.a homenagem é mais que merecida.parabens ao neguito

  • antnio henrique soragni

    Tive a felicidade de estudar no Padua Salles, ter o sr.Neguito como inspetor de alunos, pessoa doce, educada e principalmente amigo de todos os alunos.
    Parabens ao vereador pela iniciativa

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2017. Todos os direitos reservados