domingo, 17 de dezembro de 2017
Início » Esporte » Correndo na frente

Correndo na frente

Sobre o "Cidadão Olimpíco - Correndo na Frente", o prefeito Rafael Agostini ressaltou que o convênio coroa o trabalho de várias secretarias municipais e contempla mais uma modalidade, o que está dentro da diretriz de governo de investir em múltiplos esportes.

Gravatar
28/05/2013 às 20h05
Assinatura do convênio entre Prefeitura e Caixa, Claudinho e atletas no salão nobre.

Assinatura do convênio entre Prefeitura e Caixa, Claudinho e atletas no salão nobre.

O atletismo de Jaú começou a ganhar status nesta terça-feira (28) com a assinatura do convênio que viabilizará o projeto “Cidadão Olímpico – Correndo na Frente”. A parceria foi formalizada em solenidade  realizada no salão nobre da Prefeitura com a presença de dirigentes da Caixa, do prefeito Rafael Agostini e do medalhista olímpico Cláudio Roberto de Souza.

A cidade terá, a partir de 1º de junho, uma verba anual de R$ 100 mil para aplicar no projeto que tem dois objetivos: incentivar a prática do atletismo e formar atletas e investir na socialização de crianças, jovens e adultos. Serão beneficiadas pessoas a partir de 8 anos de idade, inclusive adulto. “A prioridade é para a categoria pré-mirim a juvenil, para jovens de até 19 anos de idade”, informa Cláudio Roberto de Souza.

 Claudinho, como é conhecido, tem 39 anos de idade. É de Teresina (Piauí), mas está em Jaú há quatro anos. Ele foi medalhista olímpico com a prata no revezamento 4x100 metros nas Olimpíadas de Sydney (Austrália), em 2000. Em Jaú ele comanda escolinha de atletismo com até 50 crianças no Estádio  Municipal.

O secretário de Cultura, Esportes e Turismo, Hamilton Chaves, destacou a necessidade de contemplar outras modalidades esportivas, indo além do futebol. Ele agradeceu o incentivo da Caixa à modalidade e espera ver bons resultados com os atletas – parte dos alunos da escolinha de atletismo da cidade esteve no evento.

Diversificação

O prefeito Rafael Agostini ressaltou que o convênio coroa o trabalho de várias secretarias municipais e contempla mais uma modalidade, o que está dentro da diretriz de governo de investir em múltiplos esportes.  “Nosso governo já deu sinais claros de que vai acabar com aquela história de só futebol”, pontuou, garantindo que todas as modalidades terão investimento. A cidade, segundo ele, não pode gastar só com uma modalidade e depois na hora de competir ter de trazer atletas de fora, que chegam e vão embora  e a cidade não ganha nada com isso.

Rafael Agostini defende a diversificação esportiva: “O grande desafio do nosso governo voltado é fazer o esporte como formação, como educação, como competição e como lazer e recreação. Temos a diretriz de transformar o esporte  num instrumento de inclusão social, de socialização, de redução da vulnerabilidade social, de educação, de saúde e, para isso tudo acontecer, tem de ter uma coisa chamada diversificação”.

Beneficiários

A princípio serão beneficiadas 70 atletas, mas o número pode chegar a 100. “Vamos levar o projeto para as escolas”, avisa Claudinho, que também quer um base no Jardim Pedro Ometto. 

Com a verba da CAIXA será adquirido material de treinamento (barreiras, dardos...), uniforme, lanches para os atletas e pagamento de professores e taxas da Federação Paulista de Atletismo.

Em Jaú os treinos serão em todas as provas, como corrida, salto, arremesso de peso e outras. Além do coordenador, o projeto terá em sua estrutura um treinador desportivo, um professor e um monitor.

Contrapartida

À Prefeitura cabe o fornecimento do veículo para transporte dos atletas para competições fora da cidade, como também o custeio da alimentação nas viagens. E ainda o fornecimento da área para a prática esportiva, como o Estádio Municipal. O coordenador do projeto diz que os valores que caberão ao Município vão depender do agendamento a ser feito em breve, como roteiro das viagens e número de atletas participantes.

Autor do projeto, Claudinho apresentou à Caixa sua ideia no ano passado. Recentemente apresentou em evento em Brasília, no qual estiveram todos os “Heróis Olímpicos do Atletismo”, mantido pela Caixa e que tem entre os oitos “heróis” o próprio Cláudio Roberto de Souza e outros medalhistas da modalidade.

Pela Caixa participaram solenidade de assinatura do convênio o superintendente regional, Geraldo Luis Machado de Oliveira; a consultora regional de comunicação e marketing, Lúcia Liz Amadei; o gerente regional de Governos José Orlando Garla e o gerente da agência central de de Jaú, Domingos Henrique Caramano.

A presidente da Associação Jauense de Basquete, Ivete Calobrizzi, assinou o convênio em benefício do atletismo, uma vez que o projeto ainda não tem uma associação formalizada na cidade, segundo Claudinho. A solenidade contou ainda com o diretor do Sesi-Jaú, Antonio Celso Aleixo, e secretários municipais.

4 Comentários(Deixe o seu)

  • Juca

    Até que enfim o poder público assumiu de fato essas atividades,que estavam nas mãos de politicos eleitoreiros
    Parece que o esporte vai bem
    Precisa ver a Educação ,saude e segurança
    a fiscalização e engenharia de transito parou em duas gestoes e agora esta estática
    será que não há interesse do executivo,nessa área?

  • Tantos problemas em nossa cidade, tais como: Asfalto ruim na maioria dos bairros, falta dágua frequente, segurança ineficaz, educação capengando, trânsito cada vez pior e principalmente a saúde pública deplorável. Não sou contra esporte! Longe disso, mas esse tema passou a servir somente para interesse de se autopromover diante da mídia para o povo! E tudo, reparem... tudo se faz em nome dos "jovens". Que jovens são esses? Talento, é algo divino nasce com a pessoa, ex. Pele, Airton Senna, Neymar... não se trata de ter ou não dinheiro, é um talento nato. Precisa colocar os jovens para trabalhar, aprender a ser gente. Pq se o jovem não conhecer o trabalho na adolescência, qd vai conhecer o que é trabalho? O jovem pode e deve trabalhar e ir em busca dos seus sonhos.

  • Claudio

    Só pra deixar bem claro Ronaldo, o convênio foi assinado entre a Associação dos Amigos do Basquete de Jaú e a Caixa Econômica Federal, a Prefeitura entrou como parceira, dando transporte e alimentação, além do espaço para a prática do projeto, e isso a Prefeitura já vinha fazendo. Realmente talento é algo que nasce com a pessoa, mas para desenvolver esse talento o mesmo precisa ser trabalhado. Pelé, Airton Senna, Neymar.... talentosos, porém se não tivessem entrado no esporte nunca seriam descobertos, e os não talentosos, devem ter suas oportunidades também, se não obtiverem resultados expressivos no esporte com certeza terão uma melhor qualidade de vida. Praticar esporte é também ir em busca de sonhos. A criança, o adolescente até mesmo o adulto no esporte influencia de maneira positiva também na educação, na segurança, na saúde. A criança, o adolescente tem sim que estudar, se profissionalizar pra que possam ter uma profissão lá na frente e trabalhar com dignidade e capacitação profissional e junto com os estudos eles iram realizar seus sonhos ... e tudo isso pode ser feito praticando esporte ... pois a prática só tem a contribuir ... vamos trabalhar com idades de 08 a 15 anos ... será mesmo que essas crianças tem que trabalhar????? A partir dos 16 anos esses adolescentes já terão um retorno de suas aptidões. O objetivo principal do Projeto Cidadão Olímpico-correndo na frente não é formar atletas e sim a integração social e qualidade de vida dos mesmos. O adolescente pode trabalhar sim, mas se possível desde que não atrapalhe seus estudos e sua qualidade de vida.

    • Ronaldo

      Bem Claudio, vc apenas entendeu o que lhe convém! Primeiro, jovens que refiro é a partir de 12 anos de idade, pois até essa idade é criança, e criança deve brincar, estudar e SEMPRE estar perto dos pais. Se funcionasse como diz o figurino, após os 12 anos o jovem poderia sim cursar um ensino técnico e começar ir ao campo do trabalho. Ah, mas ele tem talento para futebol, ok! Dirija-se a um clube, faça o teste e se aprovado garantirá seu lugar no futebol. Fala pra mim, que Associação o Pelé veio? Que associação Airton Senna veio? E o Neymar ? Bem existe uma diferença em ser descoberto e ir atrás do sonho. Pra quem entende é o seguinte: Vou se categórico novamente, não sou contra o esporte. Entendeu Claudio? Só que o tema "esporte", é mais uma fachada na vida de políticos, para arrebanhar o maior numero de simpatizantes. Beneficiar-se por meios legais. Deixei bem claro? Agora vms falar sobre outro ponto, como vc citou: Qualidade de vida! Qualidade de vida é muito relativo, concorda? Mas se vc está perdido, sobre esse assunto, talvez até confuso nas suas colocações, procure estudar a Bíblia! E entenderá a verdadeira definição, de qualidade de vida. Só pra terminar, educação vem de casa, os pais teem de ser exemplos e zelosos. Segurança? Quanto molestadores sexuais existem, em várias "coisas" que parecem serem boas. Saúde? O filho vai e sofre uma fratura nos membros e dependendo da situação nunca mais fica bom, no que dizer bater com a cabeça, de repente uma criança sadia e depois vegetando devido o ferimento. Isso td pode acontecer, não é isso? É o outro lado da moeda. Logo o esporte, o incentivo, não é detestável, mas precisamos ser cautelosos, com tudo desse mundo que pareça ser bom.

Deixar Comentário

Digite as letras e/ou números que você vê na imagem abaixo:

Leia | Política de Comentários.

Versão Móvel | Contato | Anuncie

Primeiro site de notícias de Jaú.
Jornalista responsável: José Henrique Teixeira MTb 20.061
Jaunews © 1999 - 2017. Todos os direitos reservados